Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Prognóstico sobre disseminação do COVID-19 em Xinguara

  • Publicado: Terça, 14 de Abril de 2020, 16h35
  • Última atualização em Terça, 14 de Abril de 2020, 21h01
imagem sem descrição.

 

Mesmo sendo uma comunidade universitária incipiente podemos influenciar os rumos que as cidades da região podem tomar. Quando a decisão sobre o caminho a ser trilhado envolve a saúde e a vida de pessoas a nossa intervenção é imprescindível. Este é o caso da necessidade da adoção, disseminação e defesa de medidas capazes de reduzir a transmissão da Covid-19 em Xinguara.


Em todo o mundo a comunidade científica tem ajudado de diversas formas a salvar vidas, uma delas é a proposição de políticas públicas baseadas em modelagens matemáticas que já demonstraram a eficácia do distanciamento social para combater o vírus e salvar vidas.


Quando aplicamos um desses modelos (SEIR) à Xinguara estimamos que se no 30º dia após o primeiro caso de contágio comunitário (aquele cuja origem seja a própria cidade) forem adotadas medidas (rotinas de higiene, uso de máscaras e, sobretudo, distanciamento social) capazes de reduzir em 60% a taxa de transmissão 100 dias depois da primeira contaminação as internações hospitalares seriam tão somente 9, havendo tempo para preparar a estrutura hospitalar, o que, por si só, salvaria vidas. Todavia, pela letalidade da doença, talvez pudessem ocorrer duas de mortes nesse período (veja o Gráfico a seguir).

 

 

 

Nestas mesmas circunstâncias, se as medidas para reduzir a transmissão do vírus forem mais frouxas, menos eficazes e capazes de reduzir a transmissão do vírus em tão-somente 40%, o modelo matemático estima que poderíamos vivenciar um quadro gravíssimo pois, neste caso, no 100º dia após a primeira contaminação as internações hospitalares subiriam de 9 para 61 e o pico de demanda por leitos hospitalares ocorreria no 200º dia, seriam 364 pessoas necessitando de internação hospitalar (veja o Gráfico a seguir, note que a escala das ordenas é diferente do gráfico anterior).

Mesmo sendo apenas uma simulação, tome-a como um alerta concreto que se soma evidências empíricas e aos estudos científicos que indicam os graves riscos à saúde pública com os quais nos deparamos, portanto, é muito importante que você, juntamente com toda comunidade da Unifesspa, adote, dissemine e defenda todas as medidas capazes de reduzir a transmissão da Covid-19.


Prof. Maurilio de Abreu Monteiro

 

A modelagem foi realizada recorrendo-se ao algoritmo disponibilizado na https://gabgoh.github.io/COVID/index.html e tendo por base os seguintes parâmetros:
Tamanho da população: 44.802 habitantes
R0: 2,0
Duração do período de incubação: 5,2 dias
Período infeccioso, 2,9 dias
Taxa de mortalidade, 2%
Tempo desde o final da incubação até o óbito: 32 dias
Tempo de internação: 28,6 dias
Tempo de recuperação para casos leves: 11,1 dias
Taxa de internação: 20,00%
Tempo até internação: 5 dias

0
0
0
s2smodern
registrado em:
Fim do conteúdo da página